Blog Boa Vida

O Dia das Mães: E o encontro com o que é eterno

Luto

Quando perdemos alguém que amamos, somos lançados para um lugar e uma jornada onde somos desafiados em todos os nossos sentidos e dimensões de existir. A DOR nos primeiros tempos, ofusca o AMOR. E talvez por essa razão pensar em seguir seja tão difícil, porque nós não sabemos como fazer isso inicialmente. A travessia do luto, requer um aprendizado diário, é como se fossemos tocando a ESPERANÇA com a pontinha dos dedos, aos poucos e, no nosso tempo!

Nas datas comemorativas, por sua vez, como o Dia das Mães que se aproxima, a tristeza, a saudade, podem se intensificar, e ganhar um espaço que assusta, porque você passa a pensar que talvez “pular” essa data seria a melhor opção para suportar a presença da ausência física. Acredite, não é o caminho para o encontro! Porque é na saudade, nas memórias que os encontros acontecem, e que permanecem.

As vitrines, propagandas, os sorteios, a tv, tudo é permeado de estímulos, e gatilhos são disparados em vocês, lembrando que não tem essa pessoa amada para dar um presente, um abraço, um beijo, um almoço, mas em contrapartida, também te lembram do que NÃO MORRE! Você mãe, e você filho nunca deixarão de ser... o que são um para o outro. Uma vez mãe, uma vez filho(a), a maternidade e a parentalidade são eternidade. É o AMOR, esse laço, que sustenta os momentos de saudade.

Nessa semana ouvi em uma live algo que quero compartilhar especialmente com vocês; o Dia das Mães, não é o dia das Mães de filhos vivos (fisicamente), é o Dia de TODAS as MÃES. Portanto! É sim o seu dia. Que seja o dia das mães a qual você consegue, seja no seu silêncio, na sua oração, no seu dia vivido de um jeito completamente diferente dos anteriores, seja talvez o dia de aceitar aquele convite do seu outro filho (caso tenha) pois, cada filho é único, o que partiu e o que ficou. Ele é SEU dia, faça o que para você tem sentido, e que te possibilite fazer essa jornada!

"Bem aventurados os que choram, porque serão consolados" - Mateus 5:4

"...Acolherei como presentes a memória e a presença do amor"  - Martha W. Hickman


Com amor e carinho

Patrícia dos Santos

Psicóloga CRP 12/10686

  • Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • WhatsApp
  • LinkedIn

Posts Relacionados

O que se perde quando “perdemos” alguém?

Luto

É assim que nos sentimos quando a morte acontece com alguém muito significativo e amado: perdidos, vazios de sentido, impotentes, desamparados; ela não pede licença, muitas vezes não espera que possamos nos despedir, dizer uma última vez que am...

LEIA MAIS

O Funeral - A importância dos Rituais

Luto

A dor do luto é tanto parte da vida quanto a alegria de viver...(Parker) Quem já teve de contratar um funeral ou quem atua no ramo funerário sabe de todas as questões práticas e burocráticas que envolvem esse processo: escolher o caixão, a me...

LEIA MAIS

“Não briguem com a saudade…”

Luto

O luto é assim, a gente tá saindo do supermercado e, do nada, pensa “ele não está aqui”, aí vem aquela vontade imensa de abraçar, ouvir a voz, ficar somente olhando ele sendo quem era, tão pouco e tão tudo… Difícil é lidar com o sumi...

LEIA MAIS

Novos Planos e
Valores Boa Vida

No momento mais difícil da vida, nosso cliente poderá contar
com tranquilidade, segurança e respeito no atendimento.

Ícone do Whatsapp
Contrate
pelo WhatsApp
(47) 99123-0099
Contrate o plano
Boa Vida pelo Whats